Aonde eu estava mesmo?

Vivi Lima, Fau Ferreira & CA Ribeiro
Segunda-feira - De 15 em 15 dias

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Aonde eu estava mesmo?

Aonde eu estava mesmo?



Lá vem de novo essa vontade de chorar, mesmo sem ter lágrimas. Na verdade, o que sinto é solidão, e como sei que depois de chorar eu estarei melhor, espero-as. Elas não vêm.

Então continuo pensativo, inexpressivo e extremamente auto-crítico. Me chamo de chato. Sei que não sou, mas é como se eu procurasse nessa mentira, uma explicação convincente.

Explicação. Uma coisa que realmente estou procurando. Afinal, não acho normal ficar de cara fechada, sem saber o motivo. Aconteceram umas coisas sim, mas acho que não é o suficiente. Seria muita besteira ficar assim por causa de coincidências.

Mas será que coincidências existem mesmo? É a mesma dúvida da existência da sorte e do azar. Existe ou é invenção (besteira) da nossa mente (explicação convincente)?

Existência. Não, não vou pensar sobre isso. Razão de viver é o que eu menos tenho no momento. Não tou pensando em me matar. Mas sei que estou longe da verdade da vida.

Verdade... é difícil ser honesto num mundo hipócrita. Principalmente quando não temos certeza se estamos sendo sinceros conosco. Verdade seja dita. Ninguém lhe conhece 100%. Nem você.

Conhecer alguém é relativo. Posso me conhecer o suficiente para perceber que não me conheço totalmente. Besteira... O importante é que ninguém conhece ninguém, porque o ser humano é sempre imprevisível.

Perdi a concentração. Um senhor e duas crianças se divertem na minha frente, ao folhearem uma revista ridícula. É ridículo, mas eles estão se divertindo...

Aonde eu estava mesmo...? No ser humano sempre imprevisível... ridículo...

Aonde eu estava mesmo...? Na minha solidão.



.Carlinhos Guto Ribeiro.


-----------------

O nosso blog teve início nesse texto. Onde um parágrafo dá o tema do seguinte. E nosso blog terá essa brincadeira como condutor de uma linha que é muito parecida às conversas boas, daquelas que a gente nem se lembra mais como começou, mas que cada assunto que chega é mais interessante do que o outro e por isso mesmo, não pode ser deixada pra lá!

Convido-o a acompanhar nossa brincadeira e opinar sobre o que está achando do rumo da nossa conversa!


Vivi Lima & Carlinhos Ribeiro

3 comentários:

Imcompreendida disse...

Gostei muito da iniciativa... vocês estão de parabens pela criatividade... pretendo dar pitacos nessa conversa... passar de imcompreendida para intrometida... rsrsrs
Agora vou conhecer o blog da Vivi...

Um abraço,

Imcompreendida disse...

Então, já conhecia o texto a acrescentar de comentário, só que: acho que você está sendo sincero consigo mesmo a partir do momento em que se questiona e não aceita as coisas, os fatos, os sentimentos como um fato consumado, como uma verdade única...

Thiago César disse...

axo q não existe verdade DA vida, a verdade É a vida!

boa sorte no novo blog!